AS NOVAS DO APH

 

AS NOVAS DIRETRIZES INTERNACIONAIS

Esta edição especial da revista cientifica Currents resume as modificações constantes das Diretrizes 2005 da American Heart Association (AHA) sobre Ressuscitação Cardiopulmonar e Atendimento Cardiovascular de Emergência, publicadas na edição de 13 de dezembro de 2005 da Circulation, a revista oficial de divulgação cientifica da AHA. Esta edição da Currents não dispensa a leitura das Diretrizes AHA 2005 para RCP e ACE (2005 AHA Guidelines for CPR and ECC). Essa publicação enfatiza as principais modificações e fornece subsídios básicos e explicações detalhadas. Será útil para os instrutores e estudantes de cursos ministrados antes que novos materiais de treinamento estejam disponíveis.

O documento com as diretrizes completas de 2005 fornece aos instrutores e médicos detalhes adicionais sobre as recomendações para Ressuscitação cardiopulmonar (RCP) e atendimento cardiovascular de emergência (ACE).

Esta edição da revista Currents contem três seções principais, de importância   fundamental para os cursos sobre ACE da AHA:

1. Principais Modificações Relacionadas a Todos os Socorristas;

2. Modificações na RCP aplicada por Socorristas Leigos;

3. Modificações nos Procedimentos de Suporte Básico e Avançado de Vida, realizados por Profissionais de Saúde.

A seção sobre Principais Modificações enfatiza as novas recomendações mais importantes relacionadas a todos os cursos (exceto o de ressuscitacao de recém-nascidos) e a todos os socorristas. A seção sobre RCP aplicada por Socorristas Leigos enfatiza as modificações para instrutores e participantes dos cursos sobre RCP para socorristas leigos, incluindo os procedimentos de primeiros socorros. Essa seção não inclui um embasamento cientifico extenso. A seção para Profissionais de Saúde.

Inclui informações sobre o processo de analise de evidencias, em que se baseiam as novas diretrizes. Essa seção aborda as principais modificações em relação aos procedimentos de suporte básico a vida (BLS, do inglês, Basic Life Support) para profissionais de saúde, PDS (HCP, Healthcare providers), a desfibrilação e aos procedimentos de Suporte Avançado de Vida em Cardiologia (ACLS, advanced cardiovascular life support), as síndromes coronárias agudas (SCA), ao acidente vascular cerebral (AVC), aos procedimentos de suporte avançado de vida em pediatria (PALS, pediatric advanced life support) e a ressuscitação em recém-nascidos. A seção sobre profissionais de saúde apresenta as bases cientificas para as novas recomendações de forma mais aprofundada que na seção para os socorristas leigos.

Esta edição da Currents não contem referencias sobre os estudos utilizados na analise de evidencias para a recomendação das diretrizes. Para referencias mais detalhadas, consulte 2005 American Heart Association Guidelines for Cardiopulmonary Resuscitation and Emergency Cardiovascular Care (Circulation. 2005; 112: IV-1–IV-211). Os algoritmos e as informações sobre os medicamentos das diretrizes de 2005 também foram incluídos no Manual de Atendimento Cardiovascular de Emergência 2006 (Manual ACE).

O Desafio: Simplificar o Treinamento em Ressuscitação e Melhorar sua Eficácia.

A doença cardíaca coronariana e responsável por cerca de 330.000 óbitos fora do hospital e no departamento de emergências (DE), anualmente, nos Estados Unidos. A maioria das pessoas aceita essa estatística como uma estimativa da freqüência de parada cardíaca súbita (PCS) fora do hospital e no DE. Essa estimativa, contudo, e incompleta. Atualmente a PCS não e classificada pelo National Center for Vital Statistics dos Centros de Prevenção e Aspectos mais Relevantes das Diretrizes da American Heart Association sobre Ressuscitação Cardiopulmonar e Atendimento Cardiovascular de Emergência Currents, inverno 2005-2006 Currents in Emergency Cardiovascular Care e uma publicação trimestral, patrocinada pela American Heart Association e pela Citizen CPR Foundation e apoiada pela Cruz Vermelha Americana e pela Heart and Stroke  Foundation do Canadá. A revista Currents foi criada para divulgar informações sobre importantes idéias, desenvolvimentos e tendências no tratamento das emergências cardiovasculares.

Web site AHA ECC:

http://www.americanheart.org/cpr

Web site CCPRF: http://www.citizencpr.org

Controle de Doenças (CDCs) como um evento diferenciado. Quando os CDCs começarem a registrar os relatos de PCS, compreenderemos melhor a incidência desta causa importante de óbito e poderemos avaliar o impacto das intervenções.

Muitas vitimas de PCS apresentam fibrilação ventricular (FV) em algum momento durante a parada cardíaca. O manejo da PCS com FV necessita RCP precoce e aplicação de choque com um Desfibrilador. Uma RCP de alta qualidade, realizada por um circunstante, pode dobrar ou triplicar as taxas de sobrevivência apos uma parada cardíaca. Infelizmente, menos de um terço das vitimas de PCS são submetidas a RCP realizada por um circunstante, e menos ainda recebem RCP de alta qualidade. Um objetivo fundamental das Diretrizes AHA 2005 para RCP e ACE e de todas as modificações nos materiais de treinamento da AHA e melhorar a sobrevivência apos uma parada cardíaca, através do aumento do numero de vitimas de parada cardíaca que recebem RCP rápida e de alta qualidade.

A maioria dos relatos de dos Estados Unidos e do Canadá demonstram que a sobrevivência de parada cardíaca fora do hospital e, em media, de 6,4% ou menos. Múltiplos fatores contribuem para essa baixa taxa de sobrevivência.

Alem disso, cada um desses fatores pode ser difícil de controlar através de estudos clínicos realizados em ambiente fora do hospital. Conseqüentemente, diversos estudos preferem considerar apenas os resultados em curto prazo, como o retorno da circulação espontânea ou a sobrevivência a admissão hospitalar, em vez dos resultados em longo prazo, como a sobrevivência do paciente sem seqüelas neurológicas por ocasião da alta hospitalar. Esses dados heterogêneos tornam difícil determinar se os resultados de um estudo são aplicáveis a todos os pacientes ou vitimas, em todos os sistemas de atendimento de emergência. Apesar desses desafios, a pesquisa sobre ressuscitação deve empenhar-se em identificar tratamentos que aumentem o numero de vitimas de PCS que recebem alta hospitalar com vida e função cerebral normal.

Alguns programas para socorristas leigos da comunidade relataram altas taxas de  sobrevivência  apos PCS, posto que esses programas promovem a RCP e a desfibrilação rápidas, com desfibriladores externos automáticos (DEAs) que podem ser operados por socorristas leigos treinados. Esses programas de DEA para socorristas leigos podem servir de modelo para melhorar o manejo da parada cardíaca em outras comunidades. O estudo North American Public Access Defibrillation demonstrou que o desenvolvimento de programas com DEA e RCP por socorristas leigos da comunidade melhora a sobrevivência a alta hospitalar de vitimas de PCS com FV testemunhada. Alem disso, programas de DEA e RCP para socorristas leigos e primeiros socorristas em aeroportos e cassinos e para policiais relataram taxas de sobrevivência de 49% a 74%, decorrentes de PCS com FV testemunhada. Esses programas mostram a importância de ministrar treinamento a socorristas e de introduzir sistemas de respostas planejadas e praticas.

Para ter acesso a todo esse conteudo, basta clicar no link abaixo e baixar todo o Artigo.

http://cid-16f038305318dfcb.office.live.com/self.aspx/AS%20NOVAS%20DO%20APH/AS%20NOVAS%20DIRETRIZES.pdf 

 

Contador

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: